Livro: O Bazar dos Sonhos Ruins - Stephen King

domingo, junho 18, 2017

O Bazar dos Sonhos Ruins"Mestre das histórias curtas, o que Stephen King oferece neste livro é uma coleção generosa de contos – muitos deles inéditos no Brasil. E, antes de cada história, o autor faz pequenos comentários autobiográficos, revelando quando, onde, por que e como veio a escrever (ou reescrever) cada uma delas. Temas eletrizantes interligam os contos; moralidade, vida após a morte, culpa, os erros que consertaríamos se pudéssemos voltar no tempo... Muitos deles são protagonizados por personagens no fim da vida, relembrando seus crimes e pecados. Outros falam de pessoas descobrindo superpoderes – como o colunista, em “Obituários”, que consegue matar pessoas ao escrever sobre suas mortes; ou o velho juiz em “A duna”, que ainda criança descobre uma pequena ilha onde nomes surgem misteriosamente na areia – nome de pessoas que logo morrem em acidentes bizarros. Em “Moralidade”, King narra a vida de um casal que vai se despedaçando quando os dois mergulham no que, a princípio, parece um vantajoso pacto com o Diabo.
Hoje vou comentar essa delícia chamada O Bazar dos Sonhos Ruins, coletânea de contos do maior ostentador da nossa coluna de adaptações, Stephen King (btw esse ano teremos filmes de A Torre Negra e It: A Coisa; séries para O Nevoeiro e Mr. Mercedes). Mas, não vou comentar todos os vinte contos, pois, perderia a magia da sua futura leitura. Na verdade, eu até cogitei isso e agorinha deu um rebuliço na mente e por fim, decidi só relatar os meus favoritos! 

Parte dos contos nos remetem às outras histórias de Stephen e em uma, há uma bela surpresa para o leitor fiel. A morte está nas entrelinhas de todos os contos e na capa, - no fundo da mente - há até um ceifador. Porém, não pense que por um assunto tenebroso estar super presente, que o horror estará a cada virar de página. Stephen diversifica bastante em suas histórias. Nem sempre ele vai te chocar, mas sim te fazer refletir e alguns são verossímeis. Ah, e te surpreender, porque temos poemas!

O mais bacana é que o autor trás algo bem pessoal para essa coletânea, que são os simpáticos processos de criação de cada conto, em suas introduções. Stephen narrando fatos da própria vida é ainda melhor que a ficção. Acho que cada leitor tem curiosidade de saber o que inspira seu autor favorito e com Stephen, são coisas simples e estranhas do seu dia-a-dia, acredite se quiser. Um belo exemplo, é a música Bad Boy de Larry Williams, que o autor relata sua inspiração para o conto Garotinho Malvado, ao ouvir a versão na voz de John Lennon.

Então, agora vamos aos comentários dos meus contos favoritos:

" - Você pode atingir a pessoa, mas não pode atingir o mal - disse Wesley. A voz dele parecia estar vindo de outro lugar. - O mal sempre sobrevive. Sai voando como um pássaro enorme e pousa em outra pessoa..."

MILHA 81
O garoto Pete Simmons está incomodado por ser deixado de lado pelo o irmão e o grupo de amigos dele, pelo fato de ser mais novo. Então, Pete resolve sair em sua própria aventura e ter uma história pra contar. O que ele não esperava, era acabar adormecendo de bêbado numa velha lanchonete da cidade e perder parte da ação, quando uma perua bizarra estaciona em frente ao local, decidida a se alimentar de todos que se aproximam. Certamente, uma parente distante de Christine...

Stephen nos apresenta as possíveis vítimas, narrando como cada uma chegara ao local. Esse é o conto que me pareceu mais macabro, porque eu realmente pensei que não ia sobrar ninguém, inclusive o Pete.


GAROTINHO MALVADO
George Hallas está no corredor da morte, pois fora acusado de assassinar uma criança. Um garotinho ruivo. Durante a última visita de seu advogado, Leonard Bradley, ele resolve relatar como conhecera a vítima e como o garoto esteve presente no decorrer de sua vida. Sim, George via essa criança desde novo e sempre que ela aparecia, o resultado era mortal.

Esse é um dos contos que carrega a genialidade expressa nas narrativas maiores de Stephen. Há outros assim na coletânea, que exalam algo maior que um simples conto. Tanto que, de acordo com IMDB, ele tem uma adaptação prevista.


MORALIDADE
O casal Chad e Nora é seduzido por uma proposta que pode ajudar no bem estar de ambos. As mudanças radicais no comportamento deles é nítida, assim que o trabalho é feito e recebem seu prêmio. Há certas ações que despertam algo adormecido dentro de nós, e nem sempre é positivo.

Esse é um dos contos reflexivos que comentei na introdução da resenha, e também verossímil. A moral e os bons costumes, se perdem pelas tentações que a vida nos trás. E tenho que dizer, Nora é uma personagem incrível!


VIDA APÓS A MORTE
William Andrews está prestando contas no purgatório e claro, sua história de vida não é das melhores. Lidando com o impaciente assistente angelical Isaac Harris, ele tentará por mais uma chance e que pode fazer diferente.

Esse daria uma ótima série de tv e já estou super imaginando Bryan Cranston na pele do Isaac com aquela risada maravilhosa dele.


UR
O professor de Literatura, Wesley Smith, recusa aceitar a modernidade em sua vida literária. No caso, o Kindle. Ele é daquele tipo de leitor que é super apegado ao cheirinho delicioso dos livros e afirma que nada pode substituí-los. Mas, depois de um rompimento com a namorada, ele resolve dar uma chance ao mundo dos e-books e nunca imaginaria que uma simples função no aparelho, poderia questionar sua sanidade.

King escreveu esse conto para uma ação promocional da Amazon, o Kindle Single. Quem acompanha seus livros, sabe que o autor não dispensa referências literárias/poéticas e esse conto é uma riqueza sem fim. Outro que carrega uma potencialidade que vai além de um simples conto.


OBITUÁRIOS
Michael Anderson é um jornalista à procura de uma bela oportunidade no mercado. Mas, a situação não é fácil para um recém-formado. Então, ele decide trabalhar para o site de fofocas mais sórdido de Nova York, o Neon Circus. O que ele vai fazer? Escrever obituários, com sentimentos. Sentimentos que desprezem a figura que a celebridade fora um dia. Porém, depois de ter um pedido de aumento recusado, Mike descobre que sua escrita pode ser mortal.

Estava ansiosa para ler este conto, desde que o conheci através de resenhas. Ele também vai além de um simples conto e é um dos inesquecíveis. A narrativa te induz a questionar Mike desde o momento que ele descobre o que tem em mãos. Sua índole entra em jogo e só nos resta torcer para que ele não acabe seduzido.


FOGOS DE ARTIFÍCIO E BEBEDEIRA
Alden e sua mãe só queriam relaxar no chalé da família e aproveitar o lago. Sua mãe tivera um golpe de sorte anos atrás resultando no quitar das dívidas e manter um bom pé de meia. Tudo muda após o Quatro de Julho, onde os vizinhos inciaram uma guerra de fogos de artifício. Pelo menos foi assim que a mãe de Alden entendeu. Então, ele decidiu deixá-la feliz, investindo em fogos modernizados e de venda proibida. Só não imaginava o quão longe, estava indo.

Esse é um dos contos verossímeis. Não estranhem, mas me diverti bastante lendo. A mãe de Alden é uma figura e ele, bem, idiota...talvez? Fato é que, os personagens sulistas de Stephen são carismáticos e sua maioria, me arranca boas risadas. E, teremos adaptação em breve. O streaming Hulu já adquiriu os direitos - eles fizeram minissérie para Novembro de 63 que comentei aqui (clique) - e adivinhem, James Franco também será protagonista dessa. Pelo menos, confirmado até o momento.

"Fui pago para debochar da cara da morte para leitores de vinte e poucos anos que achavam que a morte só acontecia com os outros..."

Notaram que não precisam ter medão para iniciar a leitura, ? Falei no início que muitas vezes a morte surge nas entrelinhas. Stephen a inclui de várias formas em seus contos. Temos a morte macabra, a morte súbita, a morte das lembranças, a morte prevista, a morte inocente, a morte da confiança, a morte poética, a morte da moral e dos bons costumes, a vida após a morte, a morte por inconsequência, a morte do mundo como conhecemos...enfim, narrativas carregadas de interpretações e também de referências literárias, políticas, cinéfilas, esportivas...

Uma coletânea para se ler aos poucos. Creio que cada conto, precisa ser absorvido de uma maneira diferente, alguns por serem maiores. Mas sei, que talvez você seja parecido comigo e chega um determinado momento, que não aguente e seu lado leitor apaixonado, clame por mais, sem pausas. Afinal, a escrita do autor é viciante e ele sempre tem uma ponta sarcástica para te prender em assuntos que até em outro momento, você reviraria os olhos. No meu caso, o conto focado no beisebol. O plot twist valeu e muito.

Mais uma vez a Suma fez um belo trabalho com a edição. Um ponto maior para a tradução e revisão que estão ótimas. A capa, dispensa comentários, pois adivinha quem passou minutos espiando cada ponto dessa névoa? Eu mesma, Nana Mello...e achei o ceifador...

No final de cada conto, o leitor encontra uma dedicatória. Algumas dessas pessoas são conhecidas, como o criador da série Sons of Anarchy, Kurt Sutter. Cês sabem né, King é superfã. Até participou!

Autor: Stephen King
Título Original: The Bazaar of Bad Dreams
Origem: Literatura Americana
Editora: Suma de Letras
Tradução: Regiane Winarski
ISBN: 9788556510303
Publicação: 2017
Páginas: 527
Série: Não
O Que Tem?: Contos, Mistério, Morte, Sobrenatural


LinksSkoob - Compre - No Site da Editora - Site do Autor
O Canto Cultzíneo agradece o Grupo Companhia das Letras (Suma de Letras) por ceder o exemplar para análise.

You Might Also Like

14 COMENTÁRIOS

  1. Oi Nana! Não vejo a hora de ler este livro, assim que terminar IT eu mergulho nele. Com certeza é mais um do mestre que vou amar.

    Bom domingo!
    Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  2. Oi, Nana!
    King é um autor que li pouco até hoje e que sempre prometo pra mim mesma que lerei mais. Curto muito o tipo de coisa que ele escreve e mais ainda a forma como ele faz isso. O pouco que escreveu sobre o conto "Garotinho Malvado" já me deixou intrigada.

    Beijos, Entre Aspas

    ResponderExcluir
  3. Nana :)
    Como você está?
    Cara, eu preciso ler algo de King, sério. Devo ser um dos únicos que têm hábito de leitura e não leu alguma de sua obra kkkkk

    Gostei da dica do conto "UR". Falou em aspectos ligados a leitura por meio de e-readers eu já me interesso kkk

    Beijos e tenha uma excelente semana
    www.rimasdopreto.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Nanaaaa

    Sabe que eu não tenho medo dos livros do autor? Eu leio de boa, pois é uma coisa muito mais subentendida...
    Eu quase solicitei esse, mas acabei solicitando outros dois, é muito livro! Hahahaha
    O conto que mais chamou minha atenção foi Obituários!

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  5. Stephen King é sempre uma ótima opção de leitura!! Adorei a dica
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  6. Oioi

    Eu tenho muita vontade de ler os livros desse cara! Só tem comentário positivo, porém me falta a coragem!

    Blog Querida Cretina ♥

    ResponderExcluir
  7. Aii, gostei da resenha mas acho que passo esse livro pois só pelo titulo já me assustou rs Isso de mortes, sobrenatural e tal não é comigo \;; Bjs

    www.mayaravieira.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eu amo muito Stephen King! Estou doidinha pra ler esse livro, sério!

    Adorei o blog e estou seguindo!
    Beijo, Carol!
    controversios.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Uaau, eu não conhecia esse livro, mas o autor eu já ouvi muito falar sobre...parece incrível!
    Amei a resenhaaa! <3
    Bisous,
    Blog Pequeno Muffin | Lara Reis
    www.pequenomuffin.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Nana,
    Os livros do King não precisa de comentários não é mesmo ?
    São todos perfeitos, ainda terei todos em minha estante ^_^

    Literatura Por Amor

    ResponderExcluir
  11. Oi Nana, tudo bem? Eu ainda estou lendo, mas até o momento Milha 81 ainda é meu preferido, acho que nunca mais vou olhar uma perua do mesmo modo kkkkkkk Realmente não dá aquele medão, mas alguns contos eu me peguei pensando por dias <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  12. Oi Nana, sua linda, tudo bem?
    Peço desculpas pela demora, estive doente por esses dias e só fiquei boa agora para retribuir os comentários. Eu tenho um problema com esse autor: tentei ler dois livros dele e abandonei os dois, eram extremamente parados, com uma narrativa detalhista ao excesso. Ma sempre que leio uma resenha dos livros dele tenho a mesma impressão: o cara é um gênio, pelo enredo eu iria gostar muito, mas tenho medo de que a escrita dele novamente não me atraia. Mas acho que darei outra chance a ele em um livro: Joyland, me falaram que posso ler despreocupada que não é detalhista. Se não fosse por isso, só pela sua resenha eu leria com certeza, e vou te dizer, senti em todos os contos potencial realmente para adaptação. Adorei sua resenha!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Só a poucos dias que eu fui descobrir que esse Stephen King é o autor de Christine, já assisti tantas vezes esse filme e nem sabia!!!

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Doida para ler. King é o mesmo dos contos curtos, mas incrivelmente completos e complexos.

    ResponderExcluir

Olá sejam bem vindos e deixem suas opiniões, com respeito, aqui.

Algumas observações:
- Comentários que não tenham relação com a postagem, serão removidos e não serão respondidos.
- Divulgações, exceto de autores, são removidas e não são respondidas.
- Comentários irrelevantes como: 'ah adorei a postagem', 'adorei a coluna', 'que legal o post' e outros no mesmo nível, são mantidos mas não são respondidos. Até porque, o que iríamos responder, né?

Popular Posts

HELP

Stats

Desde Fevereiro/2011
Nome: Canto Cultzíneo antigo Obsession Valley
Host: Blogger.com


Subscribe